Prefeitura Municipal de Parnaíba

Prefeito Mão Santa determina ações a ASERPA em relação a reposição de massa asfáltica

A Agência Parnaibana de Regulação dos Serviços Públicos – ASERPA, por determinação do Prefeito Mão Santa que preocupado com a quebra da massa asfáltica em vias da cidade, por empresa contratada pelo Estado para novamente reiniciar obra antiga denominada de adutora do litoral, obra esta que se arrasta há anos sem conclusão pelo Governo do Estado, e que somente agora restando um ano para o próximo pleito eleitoral reinicia dita obra, realizou reunião na data de 31 de outubro de 2019, às 10 horas da manhã na sede da Aserpa, com o objetivo de obter da empresa TERRACON, responsável pela obra uma imediata resposta sobre quando se iniciará a reposição da massa asfáltica nos trechos onde atualmente esta sendo rasgado o asfalto da cidade de Parnaíba para realização da obra da dita adutora do litoral.

A quebra da massa asfáltica, relativa a dita obra da adutora do litoral e bem visível na Avenida das Normalistas, onde grande extensão da via asfáltica já foi rasgada. Estiveram presentes na reunião o Presidente da ASERPA, advogado Lisandro Ayres Furtado, o engenheiro da TERRACON, Fracyjhones da Silva Moura, Francisco Emanuel Cunha de Brito, engenheiro da prefeitura, Marcio Roberto Loiola de Santos (ASERPA), e pelos fiscais de obras da Prefeitura, Savio Regis Mesquita Pinheiro e Eliane Oliveira Ferreira.

Aberta a reunião, o Presidente da ASERPA questionou a data do início das obras para a recuperação da massa asfáltica das vias danificadas pela obra da adutora do litoral que está sendo realizada pela empresa TERRACON, sendo informado pelo engenheiro responsável pela empresa, este garantindo que a partir do dia 26 de novembro será iniciada o serviço da recuperação da massa asfáltica, aproximadamente 500 metros por mês.

Quando questionado sobre a espessura do asfalto relatou que irá obedecer a espessura do asfalto já existente. De acordo com o engenheiro da empresa, esta terá que repor a massa asfáltica, pois a consultoria só atestará o serviço com a execução da recomposição da massa asfáltica.

Essa preocupação do executivo municipal em cobrar logo a reposição da massa asfáltica é para que não aconteça, o que já ocorreu no passado onde vários pontos da cidade foram quebrados em decorrência de obras realizadas pelo Governo do Estado e não houve naquele tempo a cobrança e fiscalização da gestão municipal, deixando toda a cidade esburacada, o que obrigou o município já na atual gestão municipal a ingressar com ação por exemplo contra a Agespisa para que efetue a reposição da massa asfáltica.

Antes de encerrada a reunião, o Presidente da ASERPA afirmou que Agencia de Regulação ficará atenta ao prazo afirmado pela empresa TERRACON, pois a atual gestão municipal tem realizado a recuperação poliédrica e asfáltica da cidade e não admitirá que haja a quebra da massa asfáltica da cidade sem que haja imediata reposição, seja do calçamento ou asfalto.